O Bom Pequeno Henry: A Safra (Cap.4)

segunda-feira, outubro 14

( Primeiro capítulo e outros contos em: "Old French Fairy Tales" )

Henry começou a caminhar rapidamente e percebia com grande prazer que cada passo o levou mais perto do cume da montanha. Ao fim de três horas ele tinha andado dois terços do caminho. Mas de repente, ele encontrou-se preso por um grande muro que não tinha percebido antes. Ele olhou em volta, e descobriu que, depois de três dias, este muro cercava todo o monte e que não havia nenhuma porta, nem a menor abertura, pela qual ele pudesse entrar.

Henry sentou-se no chão, para refletir sobre sua situação. Ele resolveu esperar pacientemente, ele ficou lá 45 dias. No final deste intervalo de tempo, afirmou:

"Eu não vou voltar, se eu tenho que esperar aqui sem anos."

Ele mal tinha pronunciado estas palavras quando uma parte da parede desmoronou com um barulho terrível, e ele viu na gigante abertura, brandindo um enorme porrete.

"Você tem, então, um grande desejo de passar aqui, meu rapaz. O que você está buscando além da minha parede?"

"Eu estou procurando a planta da vida, Mestre Gigante, para curar a minha pobre mãe que está morrendo. Se ele estiver em seu poder e você me permirir passar por esta parede, eu farei qualquer coisa para você que você quiser"

"É assim? Bem, ouça! Seu rosto me agrada. Eu sou um dos gênios da montanha. Vou permitir que você passe essa parede se você encher a minha adega. Aqui estão todas as minhas vinhas. Junte as uvas, esmague-as, coloque os sucos nos barris e as organize na minha adega de vinhos. Você vai encontrar todos os acessórios necessários ao pé do muro. Quando isto for feito, me chame."

O gigante desapareceu, fechando a parede atrás dele. Henry olhou em volta e, na medida que ele podia ver, as vinhas do gigante foram crescendo luxuosamente.

"Bem, bem" disse Henry para si mesmo, "eu cortei todo o trigo do velhinho, eu certamente também posso recolher as uvas do grande gigante. Não vai me tomar muito tempo e não vai ser tão difícil fazer vinho destas uvas, como fazer pão de trigo."

Uma parte da parede se desfez com um ruído terrível.

Henry tirou o casaco, pegou uma faca de poda, que viu a seus pés e começou a cortar as uvas e jogá-los para as cubas. Levou 30 dias para recolher. Quando terminou, ele esmagou as uvas, derramou o suco para os barris e variou-los na adega até estar completamente cheio. Ele ficou 90 dias fazendo o vinho.

Quando o vinho estava pronto e tudo no porão em ordem, Henry chamou o gigante que apareceu imediatamente, examinou os barris, provando o vinho, em seguida, virou-se para Henry e disse:

"Você é um pequeno homem valente e eu gostaria de pagá-lo para o seu problema. Não é preciso dizer que você trabalhou de graça para o gigante da montanha."

Ele tirou um cardo de seu bolso, deu-lhe a Henry e disse:

"Depois de seu regresso para casa, sempre que desejar alguma coisa, cheire esse cardo."

Henry não achou o gigante muito generoso, mas ele recebeu o cardo com um sorriso amável.

Então o gigante assobiou tão alto que a montanha tremeu e a parede e o gigante desapareceram completamente e Henry foi capaz de continuar sua jornada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário